Manai Gastronomia

Berrini: 11 2359-0403 ♦ Vila Leopoldina: 11 3832-6000 ♦ Paulista: 11 4329-0401 ♦ Augusta: 11 2924-7185

Uma longa historia.

Conceito Manai

Boteco do Ceará

Foi em um boteco, no bairro da Vila Leopoldina, que o Manai Gastronomia iniciou sua história. Zé Antonio – ou Ceará - assim como muitos nordestinos, veio do Rio Grande do Norte (e não do Ceará) para São Paulo com o sonho de trabalhar e construir uma vida digna. Para trás, além de sua família, Ceará deixou sua namorada Lêda, com quem se correspondeu através de cartas e postais, até retornar à sua terra, para casarem-se e juntos, voltarem a São Paulo.

Ceará trabalhou como cobrador de ônibus, atendente de lanchonete e carregador do Ceasa até que surgiu uma oportunidade de melhorar a vida. Um amigo de seu pai lhe ofereceu sociedade em um bar na Vila Leopoldina, ele entraria na sociedade com a mão de obra e o sócio com o dinheiro. Topou.

Graças às receitas de comidas típicas nordestinas, em pouco tempo o pequeno bar ficou repleto de clientes que se deliciaram com sarapatéis, mocotós, dobradinhas e cachaças. Foi assim que Ceará aprendeu a trabalhar em restaurante e viu ali o seu ofício definitivo.

Com o sucesso da casa, o sócio resolveu vender o bar. Deste modo Ceará passou a vender roupa na rua, ocupação aprendida com seu pai.

Nas mãos do novo sócio, o movimento diminuiu e logo o amigo de seu pai voltou à procurá-lo para que comprassem novamente o ponto que estava a

venda, compraram. O bar voltou a ser um grande sucesso, porém, mais uma vez, seu inquieto sócio quis se desfazer do negócio, mas desta vez Ceará fez diferente: comprou a outra parte.
A compra foi parcelada e Ceará resolveu trabalhar dia e noite, de domingo a domingo até finalmente pagar a dívida, o que acabou fazendo antes do previsto.

Ceará e Lêda, com muita dedicação e trabalho, deixaram para trás o cortiço onde viviam e dividiam até o uso do banheiro com os outros moradores - para viverem em uma casa alugada, bem simples mas confortável. Logo nasceu a primeira filha do casal, Carolina, e dois anos depois Igor. Anos mais tarde, compraram seu terreno e no fim da construção da primeira casa veio mais um filho, Júnior, e a família estava completa.

No bar da família todos ajudavam. Carolina e Igor saíam da escola para o bar e viam como pura diversão o corre-corre para atender os clientes, anos depois Junior também entrava na mesma rotina. Com o tempo Ceará adquiriu experiência, aprendeu a administrar o negócio da família e despertou nos filhos não só admiração, mas também o interesse pelo comércio e pela gastronomia.
O trabalho e a união da família fizeram com que os negócios prosperassem e logo compraram um terreno, na mesma rua, onde em 2002, abriram o Tempero Brasil. Já na inauguração tiveram uma amostra de como seria o futuro da casa: lotação máxima. Acabaram os pratos, bandejas, copos, familiares foram trabalhar na cozinha e ao final do dia, ao contarem as comandas, todos se emocionaram com o sucesso da casa, que havia superado as expectativas mais otimistas.
Ao longo dos anos o trabalho foi se aperfeiçoando, assim como o atendimento aos clientes, as opções do cardápio, a escolha de produtos e seleção fornecedores. E assim o Tempero Brasil despertou o interesse de compradores.

Em 2009 um corretor procurou a família para comprar o restaurante e foi surpreendido com uma pergunta: “não vendemos, mas gostaríamos de comprar um, quanto custaria?”. A resposta desanimou a família que insistiu em saber se haveria algum outro ponto, dentro das possibilidades deles. O corretor comentou sobre outro ponto, na região da Berrini, mas ainda assim estava um pouco além de suas possibilidades, no entanto, não dormiram durante toda a noite pensando na grande oportunidade de colocar em prática os planos e projetos que tinham em mente. Com a ajuda de toda a família e muito esforço, compraram o ponto.

O objetivo era construir um ambiente agradável, com cardápio variado e de qualidade, e atendimento cuidadoso. Escolheram desde a mobília, uniformes, decoração, utensílios e cardápio criteriosamente. Após alguns meses de reforma, foi inaugurado o Manai Gastronomia no Brooklin.

Manai Gastronomia

A família viu a história de 2002 se repetir e no final do dia novamente lágrimas de alegria. Daí em diante o restaurante sempre funciona com lotação máxima e recebe muitos elogios.
Depois de uma grande reforma, o restaurante da Vila Leopoldina, também se transformou em Manai Gastronomia, com os mesmos conceitos da unidade do Brooklin.

Carolina, Igor e Junior, formaram-se e tiveram oportunidades fora do restaurante, mas a paixão que descobriram na infância falou mais alto e todos trabalham hoje com um único objetivo: encantar clientes e proporcionar mais do que uma refeição, uma verdadeira experiência gastronômica, e momentos agradáveis aos clientes do restaurante.

Agora são três unidades de Manai, mas o bom e velho restaurante Ceará, onde
tudo começou, continua lá, no mesmo endereço e com a mesma simplicidade
que encanta a todos.

Veja Nosso Cardápio